publicidade

Hospital da Mulher realizou mais de 500 cirurgias nos últimos dois anos

IMG_3689

O Hospital Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher, celebra significativo progresso na execução de cirurgias eletivas ginecológicas. Ao longo dos últimos dois anos, completados neste mês de outubro, o hospital realizou 525 procedimentos cirúrgicos, abrangendo diversas especialidades médicas, como histerectomia, miomectomia, glândulas de Bartolino e laqueadura eletiva pós-parto.

Segundo Gilberte Lucas, diretora presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana, o aumento no volume de cirurgias é resultado de uma colaboração efetiva com universidades e faculdades da área de saúde, por meio do programa de residência de especialidades médicas ginecológicas promovido pela Prefeitura de Feira, através da Fundação Hospitalar.

“Em apenas dois anos, alcançamos avanços notáveis. Nossa meta é eliminar completamente a fila de espera para procedimentos cirúrgicos ginecológicos destinados às pacientes de Feira de Santana”, ressaltou a presidente da FHFS.

REFORMA DO CENTRO CIRÚRGICO

Gilberte Lucas enfatiza que, para atingir esse objetivo, está sendo realizada uma reforma completa no Centro Cirúrgico.

“Planejamos dobrar o número de cirurgias eletivas de ginecologia e atingir as metas estabelecidas para 2024. Investimos em novos equipamentos e na reforma e ampliação da estrutura do hospital, criando uma enfermaria específica para as pacientes no pós-operatório”.

Desde o início do programa até setembro de 2023, o Hospital da Mulher já conduziu 227 cirurgias eletivas ginecológicas e 298 laqueaduras, um procedimento cirúrgico destinado a mulheres que buscam contracepção permanente. Também conhecida como ligadura de trompas, a laqueadura visa bloquear a passagem de óvulos para o útero, impedindo a fertilização.

Vanessa Pereira, coordenadora dos Centros Obstétricos I e II do HIPS, destaca a transformação na vida de muitas mulheres que estavam na fila de regulação antes da cirurgia.

“Há dois anos, desde o início das cirurgias eletivas, o HIPS se tornou referência, preparando novos médicos obstetras em colaboração com a equipe do Complexo Materno Infantil. Além disso, temos cuidado e prevenido centenas de mulheres que tiveram a oportunidade de passar pela cirurgia ginecológica”, frisou Vanessa.