publicidade

Caravana Bahia Sem Fogo leva prevenção a mais de 2,5 mil pessoas na Chapada Diamantina

IMG_6762

O Governo do Estado apresentou nesta sexta-feira (26), na cidade de Ibicoara (459 km de Salvador), os resultados alcançados durante a primeira jornada de mobilização e educação ambiental realizada pela Caravana Bahia Sem Fogo. Ao todo, 11 municípios da Chapada Diamantina e mais de 2,5 mil pessoas participaram das atividades voltadas à prevenção aos incêndios florestais e adoção de práticas sustentáveis.

Na oportunidade, a Secretaria do Meio Ambiente (Sema) e as instituições que compõem a Caravana realizaram a entrega de 110 kits com equipamentos essenciais para atuação das brigadas voluntárias, contemplando itens de proteção individual e coletiva. Os brigadistas receberam cantil, bataclava, enxada, facão, luva, pá, mochila, abafador, apito, lanterna de cabeça, coturno, gandola, calça, máscara, foice, rastelo, bloqueador solar e soprador.

Foto: Matheus Lemos

Durante a apresentação, a diretora-geral da Sema e coordenadora do Programa Bahia Sem Fogo, Daniella Fernandes, ressaltou o número expressivo de moradores que participaram das ações propostas pela Caravana: “foi surpreendente a adesão e o engajamento das pessoas em todas as cidades em que a Caravana passou, com representatividade de vários segmentos sociais, muitos brigadistas, gestores públicos, educadores, agricultores e a comunidade em geral. A entrega dos equipamentos mostra o compromisso permanente do Governo em fortalecer este trabalho de referência realizado pelas brigadas voluntárias, na prevenção e combate aos incêndios florestais”.

A diretora complementou que a educação ambiental foi um dos pilares da Caravana: “foram visitadas 15 escolas, tanto municipais quanto estaduais, incentivando os estudantes a se tornarem protetores do meio ambiente. Além da distribuição de materiais socioeducativos, realizamos uma atividade em que as crianças e jovens receberam um crachá e o título de Agentes Ambientais Mirins, uma nova abordagem adotada pelo Programa Bahia Sem Fogo”.

Foto: Matheus Lemos

O projeto iniciou no dia 11de abril, em Andaraí, e, durante 15 dias, levou para os municípios atividades planejadas, a exemplo de rodas de conversas, sensibilização nas escolas e brigadas voluntárias, encontros nas prefeituras, sindicatos e demais entidades envolvidas.

“Esta nova fase do Programa Bahia Sem Fogo antecede o período de seca, que é o mais crítico, justamente por entender que era necessário promover estratégias eficazes de prevenção e fortalecer as parcerias entre os órgãos estaduais, as brigadas voluntárias, os municípios e a sociedade em geral. A Caravana Bahia Sem Fogo representa um passo significativo na luta contra os incêndios florestais, demonstrando que a educação e a prevenção são as chaves para um futuro mais verde”, disse a diretora-geral do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), Maria Amélia Lins.

A Caravana Bahia Sem Fogo se tornou um exemplo de como ações coordenadas e o envolvimento comunitário podem fazer uma diferença significativa na gestão sustentável dos recursos naturais. Em maio, a Caravana vai seguir para o oeste da Bahia, visitando municípios que tiveram ocorrências de incêndios nos últimos anos.

Anfitrião do evento, o prefeito de Ibicoara, Gilmadson Melo, agradeceu a toda estrutura do Estado: “em nome do nosso povo ibicoarense, parabenizo ao Governo do Estado pela iniciativa que muito nos fortalece, considerando nosso forte a cultura de turismo ecológico. Aos brigadistas municipais e voluntários todo o respeito e gratidão, o trabalho de vocês fez Ibicoara ser escolhida para fechar, com chave de ouro, este projeto na região da Chapada Diamantina”.

O projeto conta com a coordenação da Sema, em parceria com o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), as secretarias de Segurança Pública (SSP) e Saúde (Sesab), o Corpo de Bombeiros Militar da Bahia (CBMBA), a Casa Civil, Superintendência de Proteção e Defesa Civil (Sudec) e a Companhia de Polícia de Proteção Ambiental (Coppa).

Ibicoara

Hoje (26), a Caravana percorreu a sede e a zona rural do município, apresentando o projeto e realizando uma dinâmica com alunos do ensino fundamental e encontros com as comunidades do distrito de Pau Ferrado e Fazenda São Roque do Paraguaçu.

Referência comunitária da localidade Fazendo São Roque do Paraguaçu, Hailton da Silva, falou desafios ambientais enfrentados da motivação que a Caravana trouxe para pais e mães de famílias da região: “é muito importante participar desse projeto Bahia Sem Fogo, é a primeira vez que nosso povoado está reunido com tantos órgãos competentes, que vem trazer conhecimento e abrir um canal de diálogo com a gente. Agradecemos a equipe que compareceu aqui, nos incentivou e orientou para denunciar o desmatamento ilegal e de como evoluir nas nossas práticas agrícolas, sem utilizar a queimada”.

Já Erlan Santos, coordenador da Brigada Municipal de Ibicoara, reforçou o caráter educativo e as parcerias com as brigadas: “estamos juntos nessa caminhada de prevenção, isso que é importante, estreitar os laços e dar um futuro de proteção par nossas riquezas naturais. Muita expectativa também com o recebimento dos equipamentos, precisamos não só renovar os materiais já desgastados, com também trazer mais brigadistas para atuarem juntos”.

Um futuro promissor

Nas escolas, crianças e jovens foram o foco das atividades de educação ambiental, com dinâmicas de interação e envolvimento dos alunos para poderem compreender os problemas causados pelos incêndios florestais.

A superintendente de Inovação e Desenvolvimento Ambiental da Sema (Sida), Vânia Almeida, explicou que o programa Bahia Sem Fogo é norteado por três eixos, a prevenção, combate e restauração: “é um programa que pensa os incêndios florestais de forma global, dentro da perspectiva do contexto de eventos climáticos extremos, que já exigem um planejamento e metas incisivas com vistas à resiliência nas cidades e zonas rurais. A educação ambiental tem esse papel, de promover sempre esses espaços de debate e de formação”.

A professora da Escola Maria Rocha Miranda, distrito de Pau Ferrado, Luciana Máximo, enalteceu a abordagem lúdica e interativa feita pelos representantes do projeto: “a situação do fogo impacta diretamente os moradores da região, então é importante a gente conscientizar nossos alunos, principalmente nesta faixa etária entre dez a doze anos, que já apresentam um nível de entendimento sobre os problemas vivenciados pelos incêndios e desmatamento. As crianças adoraram, muito animados e participativos, tenho certeza que levarão esses ensinamentos para seus familiares, sobre a importância de cuidar da vegetação do em torno das suas casas, de cuidar do meio ambiente”.

Incêndios florestais

Os incêndios florestais podem se iniciar de formas naturais e também provocadas por ações do homem, causadas através da perda do controle das queimadas para “limpeza” do solo, descuido com pequenas fogueiras feitas em acampamentos, queima de lixo, entre outros.

A população pode oferecer denúncia de queimadas ilegais e quaisquer outros crimes ambientais pelo telefone 0800 071 1400 ou e-mail denuncias@inema.ba.gov.br. Em caso de focos e incêndios florestais, acione, imediatamente, o Corpo de Bombeiros através do número 193.

Fonte: Ascom/Inema